Início Destaque Tratamento: quente ou frio?

Tratamento: quente ou frio?

1
4424
[vc_row][vc_column][vc_column_text]Uma coisa a gente já sabe: os cuidados dispensados aos cabelos variam de acordo com sua forma e textura. As clientes com fios cacheados e crespos, por exemplo, costumam procurar por opções que não utilizem calor para manter suas madeixas hidratadas, com um formato definido e movimento. Quais opções podem ser oferecidas em seu salão? Conversamos com alguns especialista sobre os procedimentos que costumam indicar à clientela. Saiba mais!

De acordo com José Antônio, mais conhecido como Jota A, cabeleireiro e técnico nacional de desenvolvimento de produto da Hair Fly, o tratamento de cauterização a frio difere dos processos que precisam de calor por preservar a parte hídrica do cabelo. “Os aditivos vegetais que tem dentro do produto como, por exemplo o Hemiesqualano, fará com que a cadeia do cabelo transformado por calor seja quebrada e volte a dar o movimento a esse fio que estava selado por meio de processo químico ou por termo ativação”, explica.[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][vc_single_image image=”15391″ img_size=”medium” alignment=”center”][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][vc_column_text]Seus benefícios podem ser comparados aos de um cronograma capilar que são nutrir, reconstruir e hidratar de uma só vez. O resultado é um cabelo com mais brilho, maciez e resistência, garante o profissional da Hair Fly. “Indicamos a cauterização a frio para cabelos ressecados, porosos, danificados e opacos, incluindo cabelos lisos, que não devem trazer para o cabelo toda a agressividade que uma fonte de calor proporciona: desidratação profunda, selamento de cutícula e desnutrição”, enumera.

Para conhecer melhor o método da queratinização a frio, conversamos com Gilson Ribeiro, coordenador do Oasys Hair, espaço especializado em tratamento de cabelos crespos e cacheados. “É um processo para devolução de queratina, ou seja, uma reconstrução. Utilizamos um shampoo detangling com pH balanceado para abrir as cutículas e higienizar os fios. Depois, aplicamos a queratina e a deixamos agir por 15 minutos. De volta ao lavatório utilizamos um condicionador para devolver a emoliência, pois a queratina tem como função enrijecer os fios”, esclarece.[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][vc_single_image image=”15392″ img_size=”640 x 511″ alignment=”center”][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][vc_column_text]Gilson afirma que, após o tratamento, o cabelo fica mais encorpado, pois a queratina alinha as cutículas dos fios proporcionando brilho e resistência. Para os cabelos cacheados a diferença é gritante. “O diferencial é que, em alguns casos, principalmente em cabelos crespos e cacheados, a camada cuticular é menor. Sendo assim, se o profissional dispor de produtos de qualidade, com baixo peso molecular, a própria temperatura do couro cabeludo serve como condutor para a penetração do tratamento no fio”, diz.

Para qual cliente oferecer?
Tanto para a cauterização quanto para a queratinização, o profissional precisa traçar um diagnóstico do cabelo antes de oferecer o serviço. O ideal, segundo Gilson, é fazer um teste de porosidade e elasticidade do fio. Ele lembra que não é um tratamento exclusivo apenas para cabelos cacheados e que pode ser feito em qualquer tipo de cabelo.

Jota A ressalta que os profissionais também podem oferecer esse tipo de tratamento em casos de transição capilar. “Para clientes que passaram por processos químicos em geral e, especialmente, para quem quer voltar à origem natural do seu cabelo, independentemente do tipo de fio, cacheado ou liso, essa é uma ótima alternativa”, complementa.[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]

1 COMENTÁRIO

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu nome aqui
Por favor digite seu comentário!