Segurança e credibilidade são destaque no 2° Congresso de Extensão de Cílios

0
287

Dicas e informações importantes foram transmitidas por especialistas da área às congressistas


(Foto: Monique Carvalho)

No dia 11 de setembro, durante a Beauty Fair 2018, aconteceu a segunda edição do Congresso de Extensão de Cílios. No palco, a Dra. Andréia Schunck, consultora e assessora de prevenção de infecções, falou sobre segurança e higiene dentro do salão de beleza. Segundo ela, o setor de estética e embelezamento dominam o quadro de denúncias na ANVISA. “O uso de formol, a não esterilização dos materiais de trabalho, a reutilização de cera de depilação e a ausência de equipamentos de proteção individual (EPI) são algumas atividades que causam problemas em salões de beleza”, disse.

Alline Senna, que é uma das embaixadoras de extensão de cílios no País, falou sobre seu início na carreira e a vontade que tem em cuidar de pessoas. Segundo Alline, ser uma Lash Designer é ser uma artista e significa se especializar e oferecer um trabalho perfeito. “Invistam em formação. Nada de consultar o Google e dar um jeitinho brasileiro no seu trabalho! Afinal, trabalhar com a beleza é elevar a autoestima das pessoas e não o contrário”, ressaltou.

Helena Santana, advogada e esteticista, também marcou presença no evento e falou sobre a sua paixão pelo mundo da estética, que a levou a investir em especializações. “Trabalhar com o olhar é algo delicado, pois se trata de colagem na área dos olhos. Então, caso não seja executado da forma correta pode vir a machucar a cliente. Pode haver ardência, incômodos ou até mesmo pálpebras doloridas. Então é preciso todo um cuidado com a cliente procurando deixá-la confortável”, afirmou.

(Foto: Monique Carvalho)

Para evitar situações de dor e desconforto nas clientes, Alline deu algumas dicas: “Não deposite o peso de sua mão e muito menos de seu braço em cima de sua cliente. Com cuidado, apoie o peito da mão e deixe os dedos leves para evitar que ela fique dolorida após o procedimento”, disse.

Um ponto em comum da apresentação das três profissionais além da paixão pela profissão, foi sobre segurança e credibilidade. Além disso, abriram um tempo para perguntas e tiraram dúvidas diversas, inclusive sobre a realização do procedimento em gestantes. “O procedimento não tem contato com a pele ou corrente sanguínea. Uma gestante está sujeita a uma alergia, como qualquer uma de nós, mas como elas possuem restrição a medicamentos, o melhor mesmo é consultar um médico antes do procedimento”, disse Helena.

Por Camila Cardoso

 

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui